X

Mestre Gato: 5 lições de um Gato

Mestre Gato: 5 lições de um Gato

Trabalho e sempre trabalhei em casa e às vezes passo horas em casa sem sequer perceber a existência de meus três gatos.

Pois se eles tiverem vontade vão se esconder debaixo de meus lençóis no meu lado da cama, ainda quentinha, pois faz pouco que me levantei.

E quando ele sair de lá talvez me ignore completamente, ou não, se esfregando em mim ou para mostrar para ele onde está a comida – o que ele já sabe perfeitamente – ou para abrir a torneira da pia do banheiro.

Ou também poderá passar rapidamente por mim sem sequer me dar bola.

Quem sabe seja por comportamentos como esses que há quem ache que os Gatos não gostam das pessoas, não têm graça por não interagirem com a gente.

Olhe, nada a ver!!!

Um Gato, mesmo adulto, gosta, sim, de brincar com a gente como uma criança entusiasmada. Ele sabe também ser um avô babão de tanta meiguice. E entende, sim, nossos sentimentos, como o melhor confidente. Só que para isso precisam ter uma intimidade suficiente conosco, como, aliás, acontece nas melhores relações humanas, não é mesmo?

E quando essa mágica acontece, prepare-se: é só fofura, sensibilidade e aquela plenitude de relacionamento que encanta a gente e nos faz pensar: como o mundo seria melhor se cada ser humano deixasse despertar o felídeo que tem dentro de si…

1ª Lição: O Gato faz aflorar em nós os melhores sentimentos

Sim, com sua aparência graciosa meu gato senta aqui ao meu lado enquanto digito este texto.

Nos olhamos, olho no olho, e ele arregala para mim seus grandes olhos carentes que despertam em mim instintos protetores, fazendo aflorar dessa maneira esse bom sentimento.

2ª Lição: Felicidade de situação

Tanto se filosofa sobre o que é a Felicidade. Mas já pararam para observar um Gato.

Ele transborda aquela felicidade franciscana do contentar-se com a própria situação e nos ensina a termos um olhar mais atento para a felicidade que está à nossa volta.

Para o Gato basta uma folha seca que encontra, um fiapo de erva cidreira, que fico meneando na frente dele, ou um volante da mega sena que transformo numa bola de papel e jogo para ele sair correndo atrás…

3ª Lição: aprender com os próprios erros

Foi só uma vez que meu serelepe, empolgado, escalou a quaresmeira na calçada em frente de casa atrás de um filhote de bem-te-vi.

Do meu escritório em casa, ouço um miado distante que reconheço. Ué? Parece ser o serelepe, inconfundível, o mesmo miado que ouvi quando, sem perceber, tranquei-o em meu guarda-roupa…

Lá estava ele sem saber como descer do alto da quaresmeira e fui ajudá-la.

É claro que aprendeu com o próprio erro, o que, infelizmente, nem sempre acontece com os humanos…

4ª Lição: Estar em Paz

Quanta falta ela nós faz, sim me refiro à Paz.

Mas quando deixo meu samurai, como está fazendo agora, se esfregar em minhas pernas enquanto digito e deitar sobre meus pés, com aquele ronronar, carinhoso e delicioso, como é que me sinto?

Na Paz, é claro!

5ª Lição: Esta é para o sedentário

Meu trabalho me obriga a passar horas a fio no teclado do computador.

Mas quando vejo meus Gatos se contorcendo, cheios de charme e elegância, para cá e para lá, bocejando e se lambendo também me lembro de me espreguiçar, de alongar meu corpo e de ser também maleável como eles para encarar os desafios da Vida…